Cavidade do meu eu



Quem pode com isso?
Ontem, uma sensação bem amenia no meio da manhã tocava no fundo da cavidade do meu corpo, algo estranho escurecia a minha vista precisei me apoiar na parede mesmo sentada e na mão sentia meu horizonte, meu ponto de equilíbrio. rss.. Estranho essa sensação de "um minuto" completamente só perdida no espaço, sem audição e sem dicção.. Só eu e meu corpo, no silêncio e no breu interno, nunca tinha sentindo isso ou prestado atenção, mas sei que foram os 60 segundos mais longo que vivi em uma sensação única, inexplicável. Como se dentro de mim não existisse uma morada para a felicidade, como se o amor tivesse pulado para outro corpo, e a risada se calado para sempre, os pensamentos enlouquecido e escapados por qualquer orifício do meu corpo, os movimentos dos meus braços e das minhas pernas tivessem petrificado, meu sorriso colado em meus lábios não deixando eles acontecerem, foi um misto de sentimentos congelados esperando um aguardo da minha carenagem para ser devolvido para minha alma. Mas, que coisa. Refletindo agora, penso que até o nosso corpo segue um ciclo, de dever e obediência entre corpo e mente, como é real essa sintonia, pois, o meu corpo ali totalmente inerte apenas funcionando e "eu pequenina", representante da alma, foi assim que me vi, com três centímetros na forma idealizada e concentrada bem no centro do meu corpo na região do umbigo.. rs comparação atrevida, mas, enxergando metaforicamente, é como uma empresa metalúrgica em plena atividade e os meus órgãos, os operários, "eu pequenina", o poderoso chefão, observando atenta todo o processo de produção e cada trabalho individual dos meus órgãos Foi exatamente nesse contexto, que fiquei até completarem mais ou menos um minuto cravado. rs. Pelo menos, foi assim que me contaram depois e até eu ter sido resgatada e tocada por uma mão alheia; mão totalmente real que me dizia:
- Você está bem?
- Você está pálido. Aceita um copo d'agua?
Eu disse com voz enfraquecida e trêmula:
- Não, obrigada!
- Eu estou bem, só preciso de um isotônico.. rs.
O isotônico, era o combustível necessário que faltava para meu corpo e eu precisei pedir auxílio para mente, porque eu, encontrava-me ocupada demias com a rotinas diárias e não consegui perceber os síntomas que a minha carenagem apresentava até o momento que ela pifou. rs
Sei que isso tudo soa como uma loucura.. rs. Mas, foi nesse contexto que aconteceu e eu, consegui ter a percepção entre meu corpo e a minha mente.

0 comentários:

Elaine Cristina de Paula. Tecnologia do Blogger.

Meu fugaz devaneio..

Minha foto
Rio Claro, SP, Brazil
A essência da vida está com você, aproveite!

Vale a Pena Visitar

Devaneios Anteriores

Seguidores

Contador de visitas